Total de visualizações de página

sábado, 16 de novembro de 2019

Celulares pré-pagos devem ser recadastrados até segunda

Titulares de linha telefônica pré-paga em 17 estados têm até a próxima segunda-feira (18) para recadastrar e atualizar seus dados, sob risco de ficarem com o serviço bloqueado. A medida faz parte do projeto da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para a criação do cadastro nacional de usuários dos serviços de telefonia celular pré-paga.
A exigência vale para os moradores dos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e São Paulo. Os demais estados e o Distrito Federal já concluíram essa etapa de recadastramento.
Esta é última fase da campanha de comunicação aos consumidores com cadastros desatualizados, realizada pelas prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, Tim e Vivo, dentro do Projeto Cadastro Pré-Pago.
Segundo a agência reguladora, o objetivo da iniciativa é assegurar uma base cadastral correta e atualizada, para evitar a ocorrência de fraudes de subscrição (linhas associadas indevidamente a CPFs) e, dessa forma, ampliar a segurança dos consumidores.
Recadastramento
Os usuários de pacotes pré-pagos serão acionados pelas operadoras por canais como mensagem de texto, ligações ou pop ups em sites. O procedimento é aplicado apenas aos usuários com pendências cadastrais. As operadoras também disponibilizaram canais de atendimento para fornecer mais informações sobre o recadastramento, como páginas específicas nos sites e números.

Pessoas que tiverem a linha pré-paga bloqueada poderão atualizar os dados cadastrais junto à sua prestadora por meio dos canais de atendimento disponíveis, como call center e espaço reservado ao consumidor na internet. Nesse contato, devem ser informados o nome completo e o endereço com o número do CEP. No caso de pessoa física, é necessário informar o número do CPF e, para pessoa jurídica, o CNPJ. Também poderão ser solicitadas informações adicionais de validação do cadastro.
Para evitar fraudes, os usuários podem confirmar se o SMS de solicitação de recadastramento recebido foi, de fato, encaminhado pela prestadora contratada.
Fonte: Cnews e redes sociais

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Bolsonaro decide sair do PSL e deve criar nova sigla: ‘Aliança pelo Brasil’


O presidente Jair Bolsonaro vai mesmo sair do PSL e pretende patrocinar a criação de um novo partido, que deve ser batizado como “Aliança pelo Brasil”. Após mais de um mês de confronto com a cúpula do PSL, Bolsonaro convocou uma reunião, para esta terça-feira (12/11), no Palácio do Planalto, com um grupo de deputados da legenda, com o intuito de traçar os próximos passos políticos. Dos 53 deputados do PSL, ao menos 27 prometem acompanhar o presidente, mas a equipe jurídica estuda alternativas para que eles não percam o mandato.
O pedido de criação de um partido precisa ser protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com ao menos 419,9 mil assinaturas em nove Estados. Para que a nova sigla possa participar das disputas municipais do ano que vem, por exemplo, todos os trâmites devem estar cumpridos até março, seis meses antes das eleições.
Nos bastidores, governistas admitem que a corrida de 2020 é o primeiro teste para o projeto de poder de Bolsonaro, que almeja o segundo mandato, principalmente no momento em que o embate com o PT ganhou corpo com o retorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à cena política.
O Planalto corre contra o tempo para a montagem de um novo partido que possa abrigar os bolsonaristas e, por isso, advogados estudam até mesmo a criação de um aplicativo para coletar assinaturas de forma digital, uma modalidade que precisa do aval do TSE. “Não está nada certo ainda. Para depois vocês não falarem que recuei”, disse Bolsonaro à noite, ao chegar no Palácio do Alvorada, quando perguntado se o partido que pretende tirar do papel se chamará “Aliança pelo Brasil”. “Tenho de tomar conhecimento do que está acontecendo amanhã (hoje), para poder informar.”
Em mensagem enviada ontem a deputados aliados no grupo intitulado “Time Bolsonaro”, o presidente marcou o encontro para as 16 horas, mas não especificou o assunto. “Não é uma ditadura, não. Quem quiser ficar no PSL, à vontade. A gente vai bater um papo com a maioria da bancada para ver como vai ficar essa situação”, afirmou o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), líder da bancada do PSL e filho do presidente. “Se ele for para a lua, eu vou com ele.”
Eduardo é um dos 18 deputados do PSL que enfrentam processo interno disciplinar, além de ter sido levado pela oposição ao Conselho de Ética após defender a edição de “um novo AI-5” no País, caso haja uma radicalização da esquerda. No PSL, porém, ele é acusado pelo grupo ligado ao presidente do partido, deputado Luciano Bivar (PE), de agir para denegrir a imagem da sigla.
Nove partidos
Bolsonaro deve ficar sem partido até que esteja tudo arrumado para a nova filiação. Desde o início de sua trajetória política, o presidente já passou por nove partidos, incluindo o PSL, pelo qual disputou a Presidência. Mas o divórcio, desta vez, é litigioso e enfrenta vários percalços. Um deles é que parlamentares bolsonaristas ávidos por deixar a legenda correm o risco de perder o mandato se não esperarem a chamada “janela partidária” – período permitido para o troca-troca de partidos, de seis meses antes da eleição.
Para que isso não ocorra, eles devem migrar para uma legenda em formação – caso da “Aliança pelo Brasil”. Além disso, podem alegar “justa causa”, hipótese também avaliada por advogados de Bolsonaro que auxiliam deputados do PSL.
Na disputa interna, o presidente cobrou a abertura da “caixa preta” do PSL e depois pediu à Procuradoria-Geral da República (PGR) o bloqueio do Fundo Partidário da sigla, além do afastamento de Bivar, sob alegação de haver “indícios de ilegalidade” na movimentação dos recursos. “O partido não pode ter dono. Isso precisa acabar”, disse o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (GO), em referência a Bivar.
Na prática, a queda de braço entre o grupo de Bivar e de Bolsonaro envolve dinheiro. O PSL, que era nanico, se tornou uma superpotência após eleger 52 deputados – ganhou mais um nome depois – em 2018, na onda do bolsonarismo. Apenas neste ano deve receber R$ 110 milhões de Fundo Partidário. Até 2022, ano de sucessão no Planalto, a cifra pode ultrapassar R$ 1 bilhão em recursos públicos, se for computado nesse cálculo o fundo eleitoral.
Antes de falar em Aliança pelo Brasil, Bolsonaro sondou várias opções como destino político. Chegou até mesmo a enviar emissários para conversar com o deputado Capitão Augusto (PL-SP), coordenador da bancada da bala, que articula a criação do Partido Militar Brasileiro. Os interlocutores de Bolsonaro queriam saber o que faltava para pôr a legenda de pé.
“De fato, eu fui procurado, mas depois não falaram mais nada. Quero saber como vão fazer para criar outro partido até março, pois há uma fila no TSE, o processo é demorado e não tem como ninguém pular na frente, nem mesmo o presidente da República”, disse Capitão Augusto. Atualmente, há 75 pedidos pendentes no TSE sobre criação de partidos.
“Não há nada que possa ser viabilizado para acomodar os parlamentares até as eleições, a não ser que haja fusão ou que esse grupo vá para outra sigla. É um tiro no escuro, porque podem perder o mandato, mas que vão com Deus”, afirmou Coronel Tadeu (PSL-SP), do grupo bivarista.
Em uma novela que começou quando Bolsonaro disse que Bivar estava “queimado para caramba” e na qual houve capítulos inimagináveis, como destituição de líder da bancada na Câmara e “espiões” gravando reuniões do partido e até conversas do próprio presidente, ninguém arrisca qual será o próximo capítulo.

Fonte: Correio Braziliense e redes sociais

domingo, 10 de novembro de 2019


F o r t a l e z a  v e n c e   o  C e a r á  e  fi c a  m a i s  p r ó x i m o  d  e  

p e r m a n e c e r  n a  s é r i e   A

Em jogo com grande festa nas arquibancadas, o Fortaleza derrotou o rival Ceará por 1 x 0, na noite deste domingo (10/11/2019), pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo, disputado na Arena Castelão, teve mais de 46 mil torcedores no estádio.Além de vencer o maior rival, o Fortaleza deu um respiro na luta contra o rebaixamento, chegando aos 39 pontos, em 13º lugar. O Ceará, por sua vez, ficou com 36, em 14º, ainda ameaçado de queda para a Série B. O Fortaleza ainda diminuiu a diferença em número de vitórias em clássicos. Em 582 jogos, os tricolores levaram a melhor 175 contra 197 do rival. Ainda tiveram 204 empates e sete jogos sem resultado final registrado.
O espetáculo nas arquibancadas foi um belo aquecimento do que estava por vir quando a bola rolasse. Os torcedores do Fortaleza prepararam um mosaico mostrando as principais vitórias sobre o maior rival, incluindo o 8 x 0, em 1927. Os alvinegros responderam com uma bandeira que fazia alusão aos rebaixamentos do rival.
A expressividade dos torcedores chegou até a parar o jogo no meio do primeiro tempo. O árbitro Flávio Rodrigues de Souza (SP) paralisou o jogo ao ver uma bandeira com os dizeres “Parem! VAR já chega!”. A partida só voltou quando o objeto foi retirado.
Os dois rivais voltam a campo na noite do próximo domingo em confrontos diretos contra o rebaixamento. O Ceará visita a Chapecoense, às 18 horas, na Arena Condá, em Chapecó (SC), enquanto o Fortaleza recebe o CSA, no Castelão.
Fonte :Metropoles.com e redes sociais

quinta-feira, 7 de novembro de 2019


Caucaia é um dos cinco melhores municípios brasileiros em práticas de saúde bucal

Caucaia é o único município cearense e uma das cinco cidades brasileiras de população até 500 mil habitantes com melhores práticas de saúde bucal. O reconhecimento é do Conselho Federal de Odontologia (CFO), através do Prêmio Nacional de Saúde Bucal.
“A população não tem muito acesso a tratamentos bucais. A carência é absurda. E Caucaia vem desenvolvendo um trabalho incrível. O resultado está aí. Fomos reconhecidos”, diz o coordenador de Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Gerardo Queiroz.
O prêmio é um estímulo para os municípios brasileiros implementarem políticas públicas no setor. Caucaia foi avaliada em quesitos como estrutura física e pessoal, além de desenvolvimento e execução de projetos. “Estamos enquadrados no processo de valorização da Odontologia. Este foi o reconhecimento deste prêmio. Nossa intenção agora é buscar o primeiro lugar”, afirma Queiroz.
Os trabalhos desenvolvidos pela SMS no atendimento odontológico estão sendo reconhecidos em congressos, fóruns e outros eventos voltados para a saúde. Em abril deste ano, Caucaia participou do 18º Congresso do Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará e ficou em primeiro lugar na temática “Regulação do SUS.”
“Criamos um projeto de triagem com um fluxo regular que facilita o acesso da população ao serviço de Atenção Secundária em Odontologia. Estamos com mais celeridade no processo. Hoje estamos padronizados”, descreve Gerardo. Ele conta que o novo sistema oferece mais conforto para a população com a garantia de atendimento. “Diminuímos o absenteísmo, que é a falta do paciente à consulta. Por exemplo: tínhamos vagas que eram ofertadas e eram perdidas por causa de problemas na triagem dos pacientes. Com isso, outro paciente da fila assume a vaga”, prossegue o coordenador.
Para ele, o sucesso do trabalho desenvolvido deve-se à equipe técnica da SMS. “Nos esforçamos muito. É uma equipe nova e preparada. Cerca de 90% dos nossos dentistas são concursados. E isso ajuda, pois aumenta o vinculo do profissional com o município. Queremos que o sistema sempre melhore. Não é uma preocupação de hoje. É do futuro”, ressalta Queiroz.
Na opinião do titular da SMS, Moacir Soares, Caucaia está no caminho certo por estar sendo reconhecida pelos trabalhos que desenvolve. “Queremos que Caucaia seja reconhecida e já está sendo. Então estamos no caminho certo. Investimos no aperfeiçoamento e no aprimoramento. Com isso, temos resultados melhores, garantindo um atendimento de qualidade para a população caucaiense”, diz o secretário municipal.

Fontes:Prefeitura de Caucaia - ASCOM - Assessoria de comunicação 

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Mancha de óleo volta a aparecer na Praia do Cumbuco em Caucaia

Manchas de óleo foram vistas na orla da Praia do Cumbuco, no município de Caucaia, na manhã desta terça-feira (5). O material foi encontrado por moradores no início da manhã. Órgãos da prefeitura de Caucaia e do Governo do Estado enviaram equipes para fazer a limpeza do local. Uma tartaruga morta com manchas de óleo foi encontrada no local.

A mancha de óleo que polui as praias brasileiras apareceu no fim de agosto e já atingiu pelo menos 26 praias do Ceará e mais de 200 localidades do nove estados do Nordeste.
A praia do Cumbuco, que voltou a ser poluída, é um dos destinos mais procurados no mundo pelos praticantes de kitesurf. Em setembro, kitesurfistas se concentraram no local para bater o recorde mundial do maior número praticantes do esporte velejando simultaneamente.
Eliandro Santana, guarda-vidas de um condomínio próximo ao local atingido pelas manchas, viu o óleo no início da manhã, a caminho do trabalho. Ele conta que ficou surpreso, pois achava que não haveria reincidência de manchas de óleo na praia.
Essa é pelo menos a segunda vez que a Praia do Cumbuco tem registro de mancha de óleo. No início de outubro, a praia foi considerada imprópria para banho pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace)
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) afirmou que não foi acionado para a ocorrência. O órgão registrou manchas de óleo na praia de Pontal do Maceió, na última segunda-feira (5).
Segundo o último boletins da Marinha do Brasil, divulgado na segunda-feira (4), o litoral do estado do Ceará está limpo de manchas de óleo.
A Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Ceará (Sema) informou que o material oleoso atingiu 500 metros da praia, mas que a poluição é leve. Segundo a secretaria, foram mobilizados 30 militares para a limpeza dos vestígios.
Uma tartaruga foi encontrada morta próximo às manchas. Segundo Hugo Pontes, presidente do Instituto do Meio Ambiente de Caucaia, o animal tinha pequenas manchas de óleo.
Segundo o Instituto Verdeluz, que atua no resgate de animais marinhos, só é possível confirmar a relação da morte da tartaruga com o material oleado após análise do animal. Uma equipe da Sema foi ao local para resgatar o animal.
Fontes: G1 /CE e redes sociais

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Até tu Lobão ?

O cantor e compositor Lobão. fiel escudeiro na campanha Bolsonaro para presidente, agora

dá uma de arrependido, como se tivesse sido " enganado" .

Dá pra acreditar nesse " menino tolinho"

Fonte: Redes sociais

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Estratégia de Ciro de atacar o PT “está errada”, diz Camilo Santana


O ex-governador Ciro Gomes (PDT) erra ao adotar uma estratégia de ataques frequentes ao PT. A opinião é do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), aliado dos Ferreira Gomes no Estado. Segundo Santana, Ciro erra porque ninguém consegue construir uma candidatura viável de centro-esquerda sem apoio do PT.
Uma das primeiras lideranças do partido a defender uma autocrítica em relação a erros cometidos na economia e na política, o governador reiterou a posição em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo e disse que o PT também adota uma tática errada na forma como faz oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro.
Segundo ele, o partido deveria ter defendido uma proposta de reforma da Previdência que defendesse os mais pobres em vez de apenas se colocar contra o projeto do governo. Abaixo, os principais trechos da entrevista concedida na segunda-feira passada, dia 14, antes do desabamento de um prédio de sete andares em Fortaleza.
Os sucessivos ataques de Ciro ao PT podem causar algum abalo na relação entre o senhor e os Ferreira Gomes?
Abalo na relação deles com o PT existe, né? Na nossa relação, não. Temos uma relação muito sólida com base em um projeto no qual a gente acredita para nosso Estado. Posso ter divergências quanto ao comportamento do Ciro, acho que a estratégia dele está errada, mas respeito a posição.
Por que a estratégia de Ciro está errada?
Porque acho que nenhuma candidatura se constituirá à esquerda, centro-esquerda, se não tiver o PT como aliado. O PT demonstrou uma força extraordinária na última eleição. Fernando Haddad teve 47 milhões de votos, o partido elegeu a maior bancada federal, a maioria dos governadores. Tem uma base social muito forte. O Ciro sempre foi muito aliado, Lula não pode mais ser candidato. Defendi lá atrás que Ciro fosse candidato, defendi a chapa Ciro-Haddad, fui um dos primeiros. Era o momento de se unir em torno de um projeto.
Pesquisas mostram que o PT é importante, mas dificulta as candidaturas no segundo turno. O que o PT tem de fazer para tirar esse peso?
Defendi isso ainda no segundo turno (da eleição presidencial de 2018). Achava que Haddad deveria se apresentar para o Brasil de forma diferente. E isso é minha opinião pessoal. Deveria ter ido para a televisão e ter reconhecido que o PT cometeu erros na economia, na política. E como professor, que acredita na educação, se propor a unir o Brasil. Existia uma polarização muito grande.
O senhor já defendeu que o PT faça uma autocrítica.
Acho que um dos erros que o PT tem cometido é não fazer uma autocrítica, não se reinventar, não se renovar. Sou até criticado internamente por essa visão. Mas como quero conquistar o Brasil? Precisa ter uma mudança, principalmente na região Sul-Sudeste, onde se criou um antipetismo muito forte. O PT deve se renovar, se reinventar em alguns aspectos para conquistar essa parcela da população que se decepcionou, que não acredita mais. O partido deve mostrar que é possível, que tem coisas muito boas e importantes que já fez e pode fazer.
O que impede o PT de fazer isso? O senhor não é o único que tem essa opinião.
Talvez um centralismo muito forte. É difícil diagnosticar esse comportamento ou essa tendência. O partido não deve ter o papel de fazer oposição por oposição. Eu, no meu Estado, gosto quando fazem oposição construtiva. Faz com que a gente possa abrir os olhos, ter outra visão. Uma oposição rasteira, politiqueira, isso está fora.
O PT deve ter outra postura em relação ao governo Bolsonaro?
O PT não pode fazer oposição só por oposição ao Bolsonaro, precisa mostrar os caminhos importantes para o crescimento, para a desigualdade social no Brasil. Por isso que tive aquele comportamento na reforma da Previdência. Não só meu, mas do Rui (Costa, governador da Bahia), do Wellington (Dias, governador do Piauí). É inegável a necessidade de uma reforma. Eu fiz em 2016 no meu Estado, só não mudei a idade porque Constituição não permite. Mas esse é um problema que os Estados e o País precisam enfrentar. Nosso papel é defender uma previdência que não prejudique os mais pobres, o rural, que não tenha capitalização, defender a importância de fazer uma reforma e tirar privilégios sem prejudicar a camada mais pobre e mais sofrida da população. Era isso que eu acreditava que o PT devia defender.
O senhor acha que a esquerda perdeu a oportunidade de defender essa bandeira do fim dos privilégios?
Eu acho. Dizer: nós somos a favor da reforma, mas uma que não prejudique (os mais pobres). Essa era a bandeira. Eu, apesar de ter sido vencido, defendi esse caminho.
Qual o papel que o ex-presidente Lula deve desempenhar?
Sem dúvida alguma considero o Lula a maior liderança política do Brasil. Tem um poder de influencia muito grande, eleitoralmente. Considero injusta a prisão dele. A decisão sobre a liberdade dele ou não, influenciará muito no rumo político do Brasil, não tenho dúvida disso.
Bolsonaro teve o pior desempenho eleitoral no Nordeste, mas ele está fazendo muitas ações para tentar ganhar a simpatia da população. Está dando resultado?
Cientificamente, pelo menos no meu Estado, não.
Como está a relação do senhor com o governo?
Parto do principio de que ele é o presidente de todos os brasileiros e eu o governador de todos os cearenses. Independente de quem seja o presidente, nossa relação tem que ser respeitosa, institucional, e tenho buscado. Vou nos ministérios, procuro minha bancada de deputados, senadores. O que eu puder fazer em termos de interlocução, de buscar recursos, de ações para o Estado, irei fazer, estou fazendo e continuarei fazendo.
O senhor sente alguma reciprocidade?
O governo tem colocado claramente a falta de recursos, as dificuldades, o contingenciamento. Das vezes que eu procurei, no episódio de janeiro (quando houve rebeliões em presídios no Ceará), sempre tenho tido conversas com o ministro (Sergio) Moro, com o ministro Paulo Guedes, eles têm nos recebido.
Na última crise de segurança houve ajuda material?
Eu apenas pedi vagas no sistema prisional federal para transferir algumas pessoas, mas a relação foi cordial, por telefone, se colocando à disposição. Liberaram as vagas.
Quais medidas o senhor está tomando na área da Segurança Pública?
Implantamos um sistema de reconhecimento das placas dos carros usados em crimes. É uma tecnologia totalmente desenvolvida pela Universidade Federal do Ceará. Agora estamos já estamos entrando no reconhecimento facial.
Fontes: Jornal O Estado de S. Paulo e redes sociais


Celulares pré-pagos devem ser recadastrados até segunda Titulares de linha telefônica pré-paga em 17 estados têm até a próxima segunda-...